Aprenda o que é Confitar e como não errar na Hora H!

o-que-é-confitar-2

E aí? Ficou sabendo da incrível técnica Confitar, cozimento lento, usado para deixar a carne macia e com mais sabor e gostaria de saber mais a respeito? Quer aprender como dominar a técnica e aplicar no seu dia a dia?

E sim, esta pode até parecer mais uma técnica modinha, mas a grande verdade é que confitar não é uma forma recente de cocção de alimentos.

Pelo contrário, ela é bem antiga e sempre foi muito usada, pois permitia aos povos antigos manter seus alimentos longe da deterioração. 

Hoje em dia ela também continua sendo muito utilizada porque além de fácil e prática é ideal para dar mais sabor a uma série de alimentos como tomates, cenouras e outros ingredientes. 

No entanto, como percebemos que algumas pessoas ainda têm dúvidas de como realizar essa técnica corretamente e, por isso, acabam desistindo de aplicá-la, decidimos criar este artigo. 

No post de hoje você vai aprender tudo que você precisa saber sobre essa técnica antiga que tem fascinado cada vez mais pessoas no mundo inteiro. 

Vamos lá? Para facilitar a sua leitura, o artigo foi dividido da seguinte forma:

Confitar: a melhor forma de conservar alimentos 

Confitar é considerado um dos processos mais antigos para conservar alimentos no mundo e utiliza a gordura sem ser prejudicial à saúde. 

Acredita-se que a técnica tenha surgido no Egito Antigo há cerca de 2 mil anos atrás, para conservar os alimentos que seriam levados nas longas viagens, sendo que não tinham grandes espaços para refrigeração.

Esses alimentos eram cozidos lentamente em óleo ou gordura animal em temperaturas de 120° a 130° graus.

Desta forma os alimentos duravam mais tempo e podiam ser consumidos com segurança nas viagens. 

E é exatamente por isso que esta é considerada uma excelente forma de conservar alimentos por mais tempo e qualidade. 

o que é confitar
Coxa de Pato Confitada, um dos pratos mais tradicionais feitos com essa técnica. (Foto: Reprodução)

Atualmente, essa técnica é usada tanto para carnes quanto para os legumes, sendo incrível para transformar alimentos comuns em maravilhas culinárias.

O sabor do alimento muda bastante nessa técnica, podendo ser usadas ervas e temperos diferentes para saborizar tanto o óleo quanto os alimentos.

Porém, não foi apenas isso que fez com que esta técnica passasse a ter tantos adoradores com o passar do tempo. 

A grande verdade é que Confitar um alimento é uma técnica prática e fácil de ser executada. 

Você poderá deixar seus pratos mais saborosos sem exigir muito material e nem muita prática, basta colocar os alimentos e os temperos em uma forma ou em uma panela e deixá-los cozinhar lentamente na gordura.

E o melhor, a técnica é muito flexível. Por exemplo, além de poder confitar alimentos salgados também podemos confitar frutas com xarope de açúcar. 

Neste caso, o procedimento é o mesmo, o xarope de açúcar cobre a fruta que será cozida lentamente para manter a textura e o sabor podendo depois ser armazenada na geladeira em potes esterilizados de vidro para decorar outros pratos doces ou servido puro com torradas. 

Separamos um vídeo super explicativo do canal Le Plat du Jour para te ajudar a entender melhor:

Conheça agora mais detalhadamente algumas das principais vantagens dessa técnica: 

Confitar: Principais vantagens e benefícios

Como falamos anteriormente, confitar é uma técnica prática e fácil de ser executada e ideal para formar alimentos comuns em maravilhas culinárias. 

A técnica é muito flexível sendo hoje também indicada tanto para carnes quanto para os legumes.

Porém, além disso, essa técnica traz uma série de outros benefícios como, por exemplo, os alimentos que passam pela técnica de confitar não perdem nutrientes, fibras e nem texturas, todas as qualidades dos alimentos permanecem intactas após o processo.

Além disso, o óleo usado para confitar fica saborizado e com o aroma do alimento usado e esse óleo pode ser reutilizado em preparos de outros alimentos dando aroma e sabor a molhos e refogados.

o que é confitar
(Foto: Reprodução)

Outra vantagem dessa técnica é poder armazenar o que não for consumido na hora em potes de vidros esterilizados na geladeira, os alimentos confitados não perder o sabor e podem ficar alguns dias na geladeira sem estragar. 

Mais uma vantagem é que as carnes confitadas ficam macias e suculentas, o pato e porco por exemplo, usam sua própria gordura para realizar esse cozimento, lembrando que no processo o óleo não pode ferver pois nesse caso deixaria de cozinhar para fritar os alimentos.

Já nos casos das frutas, suas propriedades e nutrientes também são conservadas mantendo o sabor apurado e deixando tanto casca quanto frutas macias e saborosas, chegando a derreter na boca.

Confitar vs Caramelizar: Afinal, é a mesma coisa?

Apesar de parecerem que são a mesma técnica de cozimento, Confitar e Caramelizar são dois termos diferentes. 

O confit, como já falamos no início do artigo, consiste em colocar frutas ou nozes em calda ou outro líquido açucarado e cozinhar lentamente em temperatura muito baixa.

Segundo o próprio Dicionário de Gastronomia trata-se de uma técnica de cozimento que consiste em introduzir um alimento em um líquido gorduroso e cozinhá-lo em temperatura baixa.

o que é confitar e caramelizar
Confitar é uma coisa, caramelizar é outra. Isso na foto é caramelizar. (Foto: Reproducão)

Podemos confitar alimentos salgados como carne, peixe ou vegetais. Porém, para que seja possível garantir um confit bem-sucedido, devemos ter uma atenção especial ao tempo e à temperatura. 

Isso porque devido à baixa temperatura, a comida tende a demorar para ficar pronta e, por isso, um dos segredos para não errar é ter paciência e respeitar o tempo de cozimento.

O tempo varia conforme o alimento. Por exemplo, uma cenoura leva, em média, 50 minutos a 130 graus para ficar pronta. 

Claro, existem outros fatores que contribuem para que a técnica seja aplicada da maneira correta e ainda vamos melhor sobre cada um deles no decorrer do texto. 

Já a técnica de caramelização consiste na oxidação do açúcar. Para isso, o alimento em questão precisa ser submetido a altas temperaturas. 

Dessa forma, conseguiremos fazer com que sua superfície se transforme em caramelo, seja graças aos açúcares encontrados nos alimentos ou aos açúcares adicionados. 

Tal técnica é utilizada principalmente em pastéis e doces, como pudins e frutas, mas também pode ser feita com pratos salgados, como a cebola.

Resumidamente, e para que não fique nenhuma dúvida:

  • Confit: é cozinhar um alimento em uma gordura, por exemplo, o azeite virgem, a uma temperatura baixa.
  • Caramelizar: cozinhar um alimento com um pouco de açúcar.

Bom, agora que você já entende do que exatamente se trata essa técnica, quais são todos os seus benefícios e vantagens, o que acha de aprender na prática como Confitar os alimentos corretamente?

Aprenda agora como essa técnica pode ser executada perfeitamente:

Como confitar os alimentos – Tudo que você precisa saber! 

Confitar: como escolher os alimentos corretamente 

Como falamos anteriormente, Confitar é uma técnica muito flexível e, são vários os alimentos que podem ser utilizados sendo os mais conhecidos as carnes, como o confit de pato. 

No entanto, também podemos preparar com legumes, em especial os chamados baby ou mini – como as cenouras e abobrinhas que, além de gostosos, deixam o confit mais belos. 

Outro detalhe essencial é que, além de escolher o legume, é essencial que os produtos sejam de ótima qualidade, como as ervas e o azeite utilizados para o tempero.

Há legumes que fazem o trabalho de “esponjas” e absorvem a gordura. 

Neste caso, não é recomendada a utilização desses legumes na técnica de confitar, como é o caso da berinjela. O brócolis e couve-flor também são ótimas alternativas.

o que é confitar
A escolha dos legumes é fundamental no resultado final do seu confit. (Foto: Reproducão)

A utilização de gordura animal durante o cozimento também é essencial pois deixará os legumes com mais sabor. 

Aqui é importante deixarmos claro que a gordura de uma carne preparada para outra receita pode sim ser utilizada novamente em confit de legumes, proporcionando mais sabor.

E com relação às carnes, antes de confitar, lembre-se que é necessário desidratá-las, marinando com sal e outros temperos, como ervas e pimentas, pois o líquido acelera a decomposição. 

E não se preocupe muito com o tempo, pois uma carne pode ficar, por exemplo, oito horas para confitar.

Aprenda agora como é feito o processo corretamente: 

Confitar: como é feito o processo corretamente 

Uma das grandes vantagens da técnica de Confitar é que o processo de confitar pode ser feito com facilidade em casa. 

Por exemplo, para aplicar essa técnica não são necessários aparelhos específicos. 

Pelo contrário, o essencial é valorizar os ingredientes que serão utilizados e ficar atenta à temperatura e ao tempo de preparação. 

A técnica pode muito bem ser aplicada no forno ou fogão. A única coisa que recomendamos é que, em casa, para conseguir um ótimo resultado, que você utilize o banho-maria, que ajuda a produção.

Você pode também dar um upgrade no seu processo e utilizar um termocirculador. Também conhecido como Sous Vide esses equipamentos mantém a temperatura constante durante todo o processo de cozimento.

Eles não vão necessariamente cozinhar para você, porém vão ajudar muito a diminuir a oscilação de temperatura. Com um Sous Vide o controle fica muito mais fácil.

Se você quiser saber mais sobre esse equipamento, pode ler o post que preparamos sobre os 5 melhores Sous Vides do mercado brasileiro, clicando aqui

Confitar: pontos fundamentais 

Para aplicar a técnica de confit corretamente é importante que você também siga alguns pontos fundamentais. 

Neste caso, como ponto fundamental podemos dizer que é a temperatura empregada no processo, que precisa ser a mais baixa – não pode ser mais que 100ºC -, e uma panela ou forma de inox que ajuda no cozimento. 

Este detalhe é muito pois a temperatura reduzida faz que a gordura utilizada para o processo não frite.

Recomendamos que, se possível, utilize um termômetro culinário para ajudar na manutenção da temperatura. 

O termômetro culinário te dará mais controle do processo podendo assim mantê-lo sempre menor que 100ºC. 

Além disso, outro cuidado recomendado durante a técnica do confit de legumes e que não pode ser esquecida é não picar, mas cortar em pedaços maiores. 

Lembre-se que como o alimento precisa estar coberto pelo azeite, gordura ou óleo, pedaços menores têm a tendência de absorver mais, deixando-os gordurosos.

O tempo de preparação também precisa ser avaliado e não pode ser esquecido. Os legumes, por exemplo, necessitam ficar al dente. O tipo de legume e o tamanho afetam o tempo de preparação, mas em geral é aconselhado entre 20 e 40 minutos. 

Além disso, também é necessário acompanhar o processo e experimentar o legume para observar a consistência.

Conclusão: O que é confitar?

E aí? O que achou do artigo?  Gostou das dicas e informações?

Como foi possível perceber durante a leitura do artigo, a técnica gastronômica de Confitar está na culinária há muito tempo e isso a fez se firmar como uma excelente opção de conservação. 

Neste caso, além de ser prática e fácil de ser executada, a técnica é também muito flexível sendo hoje também indicada tanto para carnes quanto para os legumes.

Essa técnica também traz uma série de outros benefícios como, por exemplo, os alimentos que passam pela técnica de confitar não perdem nutrientes, fibras e nem texturas, todas as qualidades dos alimentos permanecem intactas após o processo.

Porém, como também foi demonstrado durante o artigo, para que seja possível garantir um confit bem-sucedido, devemos ter uma atenção especial ao tempo e à temperatura. 

Isso porque devido à baixa temperatura, a comida tende a demorar para ficar pronta e, por isso, um dos segredos para não errar é ter paciência e respeitar o tempo de cozimento.

Incrível, não é mesmo? Mas gostaríamos de também saber a sua opinião! 

Esperamos, sinceramente, que o artigo tenha te ajudado a tornar esta decisão muito mais fácil.

Dica da Cozinha: não deixe de ler o nosso post Fritar, refogar, flambar ou grelhar? Os 4 pilares da cozinha e também o nosso artigo sobre Os 5 melhores modelos de termocirculador do mercado brasileiro.

Aproveite, curta e compartilhe a sua opinião conosco nos comentários. 

Até a próxima! 

Se a sua cozinha falasse, o que ela diria? Aqui eu digo tudo! MUITO PRAZER, sou a Cozinha que fala! #cuisinenopopulê

Deixe uma resposta:

Your email address will not be published.